top of page
  • Foto do escritorsitefederacao

Professores avaliam curso sobre a história do judô ministrado pelo professor kodansha Liogi Suzuki


Curso foi disponibilizado no dia 18 de julho e contou com a inscrição de 424 judocas Judô Paranaense 28 de julho de 2020 Por ISABELA LEMOS I Fotos BUDOPRESS e FPrJ Curitiba – PR

Desde o início do isolamento social, a Federação Paranaense de Judô (FPrJ) vem elaborando projetos para manter a comunidade judoísta engajada. Um deles foi a criação de cursos a distância relacionados a história, filosofia e prática do judô. A FPrJ recebe apoio de nomes consagrados em cada área para promover a difusão de conhecimento. Estes cursos visam resgatar, mesmo que parcialmente, alguns eventos prejudicados pela paralisação das atividades.

Desenvolvido e apresentado pelo professor kodansha kyuu-dan (9º dan) Liogi Suzuki, o curso sobre a história do judô paranaense teve 424 judocas inscritos e foi liberado no dia 18 de julho. Ministrado em formato de videoaula, apresentou todo o conteúdo referente ao tema, além de uma parte teórica escrita. Os filiados faixas marrom e preta que participaram do curso receberam 20 pontos no sistema de exames de faixas e certificado e até mais 20 pontos com as respostas ao questionário. Os faixas-roxas receberam 10 pontos e podem receber até mais 10 com as respostas ao questionário.

O professor san-dan (3º dan) José Gimenez, que dá aulas na Secretaria de Esportes e Lazer de Toledo, afirmou que não haveria pessoa melhor do que o professor kodansha Liogi Suzuki para apresentar a história do judô paranaense. O que mais o marcou no curso foi o momento em que Suzuki relatou sua primeira derrota no campeonato de Londrina, no mesmo ano do falecimento de seu pai. “Ele nunca utilizou isso como desculpa, e quem o conhece sabe que ele jamais usa desculpas para nada. Ele se emocionou muito por seu pai tê-lo incentivado na modalidade. O fato de o professor Suzuki proporcionar esse curso, na idade em que se encontra, foi fantástico e deve servir de lição para todos nós”, disse o professor.

José Gimenez, professor de judô san-dan (3º dan)


“A ideia de a FPrJ realizar diversas ações ao longo do isolamento social é excepcional. A federação está colocando-se no lugar dos professores e alunos. Tenho certeza de que, assim como nós, a FPrJ passa por dificuldades e este é o momento de trocarmos conhecimento e evoluirmos de forma prática e gratuita. Por isso, acho que a entidade deu um passo à frente, unindo e valorizando professores e praticantes por sempre estarmos crescendo e evoluindo mesmo neste momento atípico”, relatou Gimenez.

Para o professor san-dan de Toledo, uma das melhores ações criadas pela federação foi a produção das lives Fala Sensei, apresentadas pelo professor Lucas Zevirikoski. “Ele é um ótimo apresentador, comanda a transmissão de forma tranquila e faz os convidados se sentirem muito à vontade. Ficamos até aguardando pelas lives durante a semana. Em nível nacional, acho que a FPrJ está à frente de muitas outras entidades ao oferecer muito conteúdo aos professores durante o isolamento social”, acrescentou o professor. Jacqueline Osana da Silva, professora da SMEL de Araucária, avalia positivamente o curso. Para ela, o conteúdo foi ainda mais importante por ter sido gravado e servir para as gerações futuras aprenderem sobre o judô paranaense. A professora acha que o curso serviu principalmente aos mais jovens, que não tiveram oportunidade de conhecer a história mais a fundo.

Jacqueline Osana da Silva, professora de judô da SMEL de Araucária


“Já havia ouvido vários relatos sobre a fundação da federação, mas quem é mais novo não conhecia ou nunca procurou conhecer a história do judô paranaense. Por isso, a apresentação do sensei Suzuki foi de extrema importância. Gostei do conteúdo e da forma como foi realizada. Acredito que várias federações, até de outros esportes, não têm proporcionado conteúdo virtual para seus federados, e a FPrJ busca fazer com que o ano não seja perdido para os judocas e professores”, enfatizou a professora.

O professor ni-dan (2º dan) Josmar Couto, do Judofoz, considerou a apresentação do sensei Suzuki magnífica e de muito valor histórico para os judocas paranaenses. Para o professor Josmar, a FPrJ está mais próxima do que nunca dos judocas por meio destas inovações que evidenciam o comprometimento e crescimento da instituição.

“Como sempre, uma verdadeira aula de história. E isso acontece não apenas pelo fato de o professor kodansha Suzuki deter o conhecimento, mas por ter vivenciado o período apresentado na palestra feita por ele. A maneira simples e humilde com que compartilha as informações facilita o aprendizado das pessoas mais novas também”, concluiu o professor do Judofoz.

Josmar Couto, professor de judô ni-dan (2º dan)


1 visualização0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page